COMPOSTO "4 Rs" DAS RELAÇÕES PÚBLICAS PLENAS

COMPOSTO "4 Rs" DAS RELAÇÕES PÚBLICAS PLENAS

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

DIA INTERAMERICANO DE RELAÇÕES PÚBLICAS muito comemorado!


26 09 2016: Pela manhã, 'hangout' - junto a colegas e ex-alunos - na FAPCOM / São Paulo; à noite, debate - junto a colegas e ex-alunos na FACHA / Rio de Janeiro - representando o Observatório da Comunicação Institucional.

BEM FELIZ!
>

domingo, 18 de setembro de 2016

OU VAI OU RACHA!

OU OS JOVENS estudantes e recém-formados bacharéis que escolheram a - apaixonante - formação Relações Públicas "tomam" para si os Conrerps - registrando-se - ou a nossa bela (e regulamentada) profissão está com os dias contados.

A minha geração (dita "X") não conseguiu mudar as coisas nefastas anteriores (da geração "Baby Boomer").

A mudança, pois, está com os "Y" e os "Z".

Sobre gerações: http://www.slideshare.net/marcondesneto/costumes-versus-geraes-13714081
>

domingo, 21 de agosto de 2016

E o esperado aconteceu...

Milimetricamente de acordo com o planejado. O gringo nadador infanto-bagunceiro, metido numa confusão criada por ele mesmo no Brasil, contratara um especialista-fera em crises de imagem - um RP - coisa mais que comum nos EUA, onde nasceu a atividade... 
E o especialista contratado arquitetou rapidamente a ação de limpeza de barra de seu cliente, no limite das possibilidades: uma matéria para o Jornal Nacional (nem pensar noutro programa ou em outro canal), anunciada, como o foi, matéria derradeira sob a chamada 'Ryan Lochte, exclusivo, esclarece o que aconteceu e pede desculpas ao Rio de Janeiro e aos brasileiros'. 
Tudo foi detalhadamente executado; da cor do bem comportado cabelo à vestimenta, do tom de voz à altura do olhar, da postura humilde-descolada ao 'I am sorry' ensaiado ao final. O JN abriu a matéria mostrando o atleta-palhaço-arrependido chegando à sede da TV Globo acompanhado 'de seu novo assessor de imprensa'. 
Sabe quando a Redação da Globo vai chamar o RP de RP? Never! 
Como sabemos, enquanto na terra do Tio Sam, RPs cuidam apenas de 'media relations', aqui a jabuticaba 'assessoria de imprensa' é feita por coleguinhas-jornalistas em desvio de função (alimentando de 'stories' para os coleguinhas-na-função 'to tell'). 
O que é igual, aqui e la'? 
Traficar influência e obter da imprensa um determinado resultado esperado, ensaiado e muito bem pago (não em dinheiro, mas em matérias que deem audiência ao 'medium' escolhido) 'exclusivo' - como foi o caso. A direção de jornalismo e o reporter escolhido fazem seu papel - de 'escada' (claro que cabera' exclusivamente ao 'cliente' escala'-la). E a edição - coração e cérebro da coisa toda - entrega a matéria-limpeza-de-barra pedida e muito bem paga (a assessoria, bem entendido); e detalhe: exclusivamente voltada à audiência da Globo (que repetira' a matéria à exaustão - e isto também ja' esta' quantificado previamente) e a certos 'ouvintes' globais. 
Localmente, Ryan 'the monster of Mess' - como retratado por um jornal-tabloide estadunidense - continua alimentando sua fama... de bobo mimado e infantil, o que lhe rende alguma 'carreira' post-aposentadoria (tempo que ja' chegou para ele na natação).
E vida que segue na 'crise' de amanhã...
>

sábado, 23 de julho de 2016

quarta-feira, 18 de maio de 2016

MEDITERRÂNEA INFORMA: o relações-públicas, professor e consultor Manoel Marcondes Machado Neto está satisfeito.

MEDITERRÂNEA INFORMA: o relações-públicas, professor e consultor Manoel Marcondes Machado Neto está satisfeito.

Em suas próprias palavras:

- Consegui, após muitos anos de estrada, trazer - para uma só equipe - uma administradora, três jornalistas e uma publicitária, a fim de trabalharmos - juntos - a integração da comunicação de nossos clientes atuais e futuros, o que se convencionou chamar de 'comunicação total' ou ‘comunicação 360 graus’, unindo de forma balanceada a comunicação interna, a comunicação institucional e a comunicação de marketing. E tudo isto, a baixo custo.

Isto acontece agora, exatos 30 anos depois de Margarida Kunsch demonstrar ao Brasil o alcance da ‘comunicação integrada’ praticada nos países desenvolvidos desde a década de 1970. E o grupo de profissionais, cada um à frente de sua própria empresa, ainda conta com uma MEI de relações-públicas no atendimento, totalizando sete pessoas sob o 'Coletivo Umbrella', iniciativa típica da economia solidária para este tempo de indústrias criativas.

Conheça:
Divulgação: Lucila Komolibus.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

A piada do século XXI.


A notícia, publicada n'O Globo de hoje, entrega a (des)graça da piada já no título: 'Cresce debate sobre status econômico chinês'...

Quando, em 2008, o Brasil reconheceu a China como uma 'economia de mercado', este escriba manifestou-se (veja aqui). Agora, também.

Como 'reconhecer' jornadas extenuantes? Como 'reconhecer' trabalho análogo à escravidão? Como 'reconhecer' o uso da mão-de-obra infantil? Como 'reconhecer' salários de fome? A minha resposta: não dá para 'reconhecer'. Vide o relato perfeito da situação feito no documentário 'China Blue', de MIcha X. Peled (2005),

A piada - http://extra.globo.com/noticias/economia/cresce-debate-sobre-status-economico-chines-19312250.html
>